domingo, novembro 16, 2008

Outono da Vida


O vento vem
não se sabe de onde
mas ele vem.
Balança as folhas das árvores
Faz algumas cair e vai e vem
Não se sabe de onde.
O tempo passa como o vento,
deixando rastros por onde passa.
São recordações felizes outras amargas.
E passa o tempo e as folhas caem,
A vida se esvai
Mas só agora vejo a importancia dos minutos
Não dos que foram, como o vento.
Mas os que vem como o tempo também.
Das coisas importantes que ainda faltam
Será que terei tempo? Não sei,
ele agora se vai. E paradoxo. As rugas, antes tão temidas,
agora são desejadas,
porque isso representa tempo de viver o que falta.


Autor: Eu. (Nov/2008)

इमागेंस दे Beléम - PA

















Ver-o-Peso