quinta-feira, agosto 13, 2009

O FAROL DE ALEXANDRIA


A história do Farol começa com a fundação da cidade de Alexandria pelo conquistador macedônico, Alexandre o grande, em 332 a.C.. Alexandre fundou pelo menos 17 cidades chamadas Alexandria, em diferentes localizações do seu vasto domínio. A maioria delas desapareceu, mas Alexandria no Egito sobreviveu por séculos e continua, até mesmo nos dias atuais. Alexandre morreu logo depois, em 323 a.C. e a cidade foi completmentada por Ptolomeu Soter, o novo líder do Egito. Sob o comando de Ptolomeu, a cidade se tornou rica e própera.

De qualquer jeito, a cidade precisava de um símbolo e de um mecanismo para guiar os navios comerciais no movimentado porto. Ptolomeu autorizou a construção do Farol em 290 a.C., e, quando foi completado 20 anos depois, era a primeira e a mais alta construção existente, com exceção da Grande Pirâmide. O designer do farol foi Sóstrates de Knidos. Orgulhoso de seu trabalho, ele desejava ter seu nome na fundação. Ptolomeu II, filho de Ptolomeu, recusou seu pedido, querendo que seu nome fosse o único a estar inscrito na construção. Homem inteligente, Sóstrates inscreveu o seguinte : "Sostrates filho de Dexifanes de Knidos em nome de todos os marinheiros para os deuses salvadores", e então cobriu com um gesso. E no gesso, ele escreveu o nome de Ptolomeu. Com o tempo, o gesso envelheceu e saiu, revelando a declaração de Sóstrates. O farol foi construído sobre a ilha de Pharos, e logo adquiriu esse nome. A ligação do nome, com a função foi tão forte, que a palavra Pharos se tornou sinônimo de Lighthouse (em inglês), e nas línguas latinas, pegou significado próprio : Farol.
O farol é todo de mármore e com 120 metros de altura - três vezes o Cristo Redentor no Rio de Janeiro. Com três estágios superpostos - o primeiro, quadrado; o segundo, octogonal; e o terceiro, cilíndrico -, dispunha de mecanismos que assinalavam a passagem do Sol, a direção dos ventos e as horas. Por uma rampa em espiral chegava-se ao topo, onde à noite brilhava uma chama para guiar os navegantes. Compreende-se a avançada tecnologia: Alexandria tinha-se tornado naquela época um centro de ciências e artes para onde convergiam os maiores intelectuais da Antigüidade

2 comentários:

lucielle oliveira disse...

a historia muito importante pra mim por que é bom estuda na escola não baguça na escola por que a escola muito importante respeita os professorres

lucielle oliveira disse...

ta bom gente