domingo, maio 18, 2008

Ainda o Amor



«Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;
É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É um contentar-se de contente;É cuidar que se ganha em se perder;
É um estar-se preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É um ter com quem nos mata lealdade.
Mas como causar pode seu favor nos mortais corações humanos conformidade,
Sendo a si tão contrário o mesmo Amor?»

De Luiz Vaz de Camões

2 comentários:

...Eterno Apaixonado... disse...

Muito bom este texto de Camões
Mas será que hoje existe amor com tal intensidade???
Difícil não é mesmo.
Infelizmente o amor que encontramos é cada dia mais condicional...
Mas que da vontade de ter um amor assim... ah como dá

Beijos e boa semana

Teca Gama disse...

É verdade. Mas viver sem sonhar é o mesmo que viver por viver. Eu quero sempre sonhar que mesmo o impossível pode ter alguma possibilidade.

Bjs