segunda-feira, dezembro 01, 2008

Sombra d'outeiro

A sombra d'um outeiro,

vi passarem-se os dias.

Dias de muito, dias de pouco

Se recordo bem, foi lá que também perdi meu bem

Não mais dias luminosos, não mais alegrias sem fim

Apenas o recordar de mim pra mim.

Tento esquecer, mas enfim

Que fazer, se o infinito teve fim.

Na sombra d'outeiro

Vi passar meu cavaleiro.

Era lindo de uma beleza ardente e apaixonante.

Quisera poder reter nas malhas das lembranças

não apenas o momento fugaz ,

Mas meu cavaleiro que se perdeu, foi embora.

Autor : T.J.Gama (Dez/2008)

Nenhum comentário: