sexta-feira, março 16, 2012

Mendiga



Na vida nada tenho e nada sou;

Eu ando a mendigar nas estradas...

No silêncio das noites estreladas

Caminho, sem saber para onde vou!

Tinha o manto do sol....quem mo roubou?!

Quem pisou as minhas rosas desfolhadas?!

Quem foi que sobre as ondas revoltadas

A minha taça de ouro espedaçou?!

Agora vou andando e mendingando,

Sem que um olhar dos mundos infinitos

Veja passar o verme, rastejando...

Ah, quem me dera ser como os chacais

Uivando os brados, rouquejando os gritos

Na solidão dos ermos matagais!...

Florbela Espanca

Nenhum comentário: